Letras de Canções
 

O SENHOR DO MEIO

 

1  - O senhor do meio cuida que é alguém; (bis)

      É um rapazinho que nem barbas tem. (bis)

 

2 - O senhor do meio é alto de mais; (bis)

     Já p’ra’i lhe chamam enxota-pardais. (bis)

 

3 - O Senhor do meio é bem bonitinho; (bis)

       Para namorar tem certo jeitinho. (bis)


 

BAILINHO DA CAMACHA

 

1- Minha mãe p’ra eu me casar   | 

    Prometeu-me três ovelhas     | bis

    Uma é coxa outra é cambada  |

    Outra é mouca das orelhas      | bis

 

2- A laranja foi à fonte      |

    E o limão foi atrás dela  |  bis

             A laranja bebeu água   |  

              E o limão o sumo dela |   bis

 

3- No dia do casamento       |

    Não faltou nada na mesa  | bis

             No fim, ao fazer a conta,  |

             Foi uma grande surpresa   | bis

 

4- Ó da guarda! Não me prenda,   |

    Nem a mim nem ao meu noivo   | bis

             Tenho de ir fazer a cama    |

               Não deixe que fale o povo |  bis


 

PONHA AQUI O SEU PEZINHO

 

1-Eu nasci à sexta-feira                                3-Toda a moça que é bonita

   Com barbas e cabeleira                                  Se ela chora ou se ela grita

   Mais parecia um anti-Cristo                             Nunca houvera de nascer

   Que a té o Sr. Padre Cura                               É como a maçã madura

   Que é de grande sabedura                              Da quinta do Padre Cura

   Nunca tal houvera visto                                 Todos a querem comer

 

2-Eu fui à beira da rocha                                4- Eu fui de Liboa a Sintra

   Sapato, meia, galocha                                    A casa da ti’ Jacinta

   Ver se o mar estava manso                             P’ra me fazer uns calções

   E encontrei lá uma garota                               Mas a pobre criatura

   Toda embrulhada em roupa                              Esqueceu-se  d’abertura

   A dormir o seu descanso                                 Para as minhas precisões

 

                                             Refrão:

Ponha aqui o seu pezinho

Devagar, devagarinho,

Se vai à Ribeira Grande

Eu tenho uma carta escrita

Para ti cara bonita

Não tenho por quem a mande